Projeto musical com Lius Baruch vence prêmio

Atualizado: Jun 4

O álbum “O colibri e o rastro de gotas”, de composição, arranjos e produção de Lius Baruch e colegas, ganhou o prêmio Spellemannprisen na categoria melhor álbum 2020 na categoria infantil. Ouça o álbum completo.


De Caroline Garabini


O músico brasileiro Lius Baruch, que vive na Noruega há mais de 14 anos, recebeu juntamente com o grupo “O colibri e o rastro de gotas” (tradução livre de Spor av dråper og røde nebb), o maior prêmio da música na Noruega, o prêmio do Festival Spellemannprisen, na categoria infantil melhor álbum no ano de 2020. Lius foi um dos responsáveis pela composição, arranjos e produção desse projeto, que é interpretado pela cantora e poetisa Sarah Camille.


PsF: Qual é a importância de conquistar o maior prêmio da música norueguesa na categoria infantil?


Lius: A importância maior é o reconhecimento do meu trabalho neste projeto, o qual é feito com muito amor, carinho e dedicação há oito anos, além de contribuir para mostrar aos brasileiros que podemos conquistar um lugar de destaque na sociedade norueguesa, encorajando todos onde quer que estejamos, independentemente da situação. Afinal, colhemos o que plantamos, sempre.


PsF: O álbum “O colibri e o rastro de gotas” tem como pano de fundo o tema “a união faz a força”, de onde vieram as inspirações?


Lius: As inspirações vieram de histórias contadas pela poetisa Sarah Camille em jardins de infância. Essas apresentações tornaram-se notórias e, então, surgiu a parceira conosco, músicos, para musicar algumas delas. E, assim, nasceu o projeto “O colibri e o rastro de gotas”, com inúmeras apresentações em toda a Noruega, encantando o público com a combinação de artes cênicas e música.


PsF: Você acredita que sua brasilidade influenciou os arranjos do projeto? Quem são suas referências musicais?


Lius: Totalmente, sem sombra de dúvidas! A presença do pandeiro e do caxixi são marcantes nos arranjos, remetendo à nossa musicalidade. Considero os Beatles como minha grande escola, tendo forte influência musical deles desde criança. E como um bom nordestino, minhas referências rítmicas são Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, e Naná Vasconcelos.


PsF: Que desafios você, como músico e compositor reconhecido na comunidade brasileira na Noruega e Europa, teve para atender o público infantil, e principalmente, na língua norueguesa?


Lius: Não foi desafio, apenas uma adaptação do que normalmente faço em meus trabalhos. A música é uma linguagem sem idioma, independente da região de onde você vem ou se encontra. A música fala por si, tem uma forma única de compreensão, que envolve emoções universais.


PsF: Os seus seguidores podem esperar mais parcerias como esta? Algum projeto em andamento?


Lius: Sim, tenho um projeto finalizado que se chama «Zuca, um papagaio que se importa com o meio ambiente” (Zuca, en miljøvennlig papegøye), que conta a história de um papagaio que voa do norte ao sul do Brasil, lutando contra desastres ambientais com a ajuda de amigos que faz ao longo do percurso. Este projeto é baseado em artes cênicas em norueguês, com clássicos da nossa MPB de fundo. Em breve, terão maiores informações sobre a divulgação das apresentações no meu site e nas redes sociais.


Se deseja conhecer melhor o trabalho de Lius Baruch, visite seu site, liusbraruch.no, ou sua página do Facebook, Lius Baruch. Para ouvir as canções, acesse ao álbum completo.









80 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo